[25/03/2014]

Entenda a Negociação da Refinaria de Pasadena

Entenda a Negociação da Refinaria de Pasadena

O assunto que pautou a imprensa nacional e internacional envolvendo a Petrobras foi a compra, no ano de 2006, da refinaria de Pasadena, localizada nos Estados Unidos. A negociação trouxe um prejuízo de U$S 1 bilhão para a estatal brasileira e já resultou na exoneração do diretor financeiro da empresa, na última sexta-feira (21). As transações estão sob investigação do Tribunal de Contas da União (TCU), da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (PMF), visto que há suspeitas de superfaturamento.

A Petrobras, à época, comprou 50% da refinaria de Pasadena visando refinar óleo pesado do Campo de Marlin nos Estados Unidos, viabilizando a expansão do mercado externo da estatal. A empresa belga Astra comprou a refinaria de Pasadena em 2005 por U$S42 milhões, enquanto que, no ano seguinte, a estatal brasileira investiu U$S360 milhões para adquirir metade do negócio. Depois de desentendimentos com a Astra, a Petrobras acabou obrigada a comprar a outra metade da refinaria, o que levou a negociação para valores bilionários.

As primeiras suspeitas sobre a negociação datam de 2012 e as investigações iniciaram em 2013, pelo TCU, após solicitação vinda da Câmara dos Deputados. Hoje, o processo que analisa a compra da refinaria está em tramitação no setor técnico do TCU, com estimativa de votos dos ministros já no próximo mês. A Petrobras, empresa aberta e com papeis negociados em 25 países, conta com dívida de R$221, 56 bilhões (dados de dezembro de 2013).

 

Fonte Consultada: Revista TN Petróleo e G1 Economia (http://www.tnpetroleo.com.br/noticia/trabalhadores-da-petrobras-querem-apuracao-da-compra-de-refinaria-nos-eua/ e http://g1.globo.com/economia/noticia/2014/03/entenda-compra-da-refinaria-de-pasadena-pela-petrobras.html)

Fonte Imagem: Portal Marítimo.